Tópicos da Semana – Edição de 5/06/21

Publicado em 5/06/2021 00:06

Por Lelo Sampaio

Copa América
A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) anunciou na última segunda-feira (31) que o Brasil sediará a Copa América 2021 depois que Argentina e Colômbia, os organizadores iniciais, terem sido descartadas, respectivamente, por conta da Covid-19 e por questões política.

Eu, heim?
A Argentina enfrenta atualmente uma segunda onda do novo coronavírus, com recorde de infecções, e a Colômbia também o fez devido a diversos protestos sociais. O jornal argentino La Nación afirmou que a escolha do país aconteceu “por eliminação”, justamente após o Chile, Equador, Uruguai e Paraguai também se recusarem a sediar o torneio, depois que a Colômbia e Argentina darem para trás.

Chega de circo
Entretanto, a Conmebol optou por levar o torneio ao país que apresenta a maior quantidade de contágios e mortes no subcontinente. As cifras são assustadoras. Somente nas últimas 24 horas, o Brasil registrou mais de 2 mil mortes, o que leva quase 47 mnil falecidos no total. Não queremos circo neste momento, queremos vacina!!!

Pois é…
Esses países, que foram bem menos afetados que o Brasil, recusaram-se a sediar para se preservarem. O Brasil foi a última sede e deveria ter sido o último a aceitar neste momento. Todos os outros vão só se divertir assistindo os jogos da TV, enquanto nós morremos aqui com a terceira onda.

Cepas
Daí muitos vieram com a conversa de que se tem Brasileirão pode ter Copa América. O fato é que virão jogadores do mundo inteiro, pois a maioria dos sul-americanos não joga em seus países. Serão 10 seleções com jogadores que moram em cerca de 25 países. Poderemos ser o paraíso de todas as cepas do vírus.

Circo II
Porém, horas depois de a Conmebol confirmar, através de seu Twitter, que o Brasil substituirá a Colômbia e a Argentina como país-sede da Copa América 2021 e agradecer Jair Bolsonaro pelo acerto, o Governo federal se manifestou pela primeira vez oficialmente na noite da segunda-feira. E, para deixar o evento no ar, o ministro da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, em declaração dada no Palácio do Planalto ao lado de Marcelo Reis Magalhães, secretário nacional dos Esportes. falou que “não tem nada certo”. Porém, o presidente Jair Bolsonaro deixou claro que, se depender dele, teremos jogos aqui. E foi exatamente o que aconteceu: Na última terça-feira (1º) o presidente bateu o martelo!!!

Última Edição