Tópicos da Semana – Edição de 8/04/17.

Publicado em 8/04/2017 00:04

Por Mário Aurélio Sampaio e Silva.
Charge: Leandro Gusson (Tatto).

Ademir_boloA hora é agora
Daqui a exatos dois dias, todos os prefeitos do país completarão 100 dias de governo, e o prefeito de Santa Fé do Sul, Ademir Maschio, como tal, está na lista dos “centenários”. Na edição de 7 de janeiro do corrente ano este semanário entrevistou o prefeito de Santa Fé para saber dele exatamente quais as principais metas para o referido período. Na ocasião, Ademir relatou que fora feito uma reunião com todos os secretários para discutir as metas, os anseios, necessidades e prioridades a serem atingidos nos primeiros 100 dias. O momento agora será de reavaliar o Governo. A hora é agora.

Quem sou…
Os primeiros 100 dias de governo são vitais para imprimir a identidade de uma nova administração. Um governo que começa atuando de maneira tímida revela hesitação, falta de prioridades e incapacidade de aproveitar um dos momentos mais valiosos para promover mudanças importantes. Por outro lado, aquele que inicia de modo arrojado, implementando, com importantes reformas institucionais, propondo projetos inovadores e promovendo mudanças, embora em princípio possa parecer utópico e inviável, principalmente para os sempre opositores, os narizes-tortos, ao que indica Maschio definitivamente está no caminho certo, haja vista ter “feito o dever de casa”. Na próxima segunda-feira, dia 10, o prefeito, através de uma coletiva de imprensa, irá mostrar, enfim, o que cumpriu e o que eventualmente não pode ser feito neste período, se é que houve. Resta a nós esperar…

Teve trabalho, sim
Logo no início de sua administração, foi pedido que todas as Secretarias fizessem de imediato um trabalho mais humanizado, atendendo a todos os munícipes de forma mais próxima, dando-lhes a resposta que todos anseiam. Muitos afirmam que a meta foi cumprida; outros, entretanto, dizem que está deixando a desejar.

Limpeza
É notável que a cidade já está com ares mais agradáveis, uma vez que houve a poda de diversas árvores, os recapes em algumas ruas, embora muitas ainda estão para ser feitas, assim como já se vê que muitas praças estão recebendo iluminação. Com o intuito de manter a cidade limpa, além de evitar a proliferação de animais peçonhentos e o acúmulo de entulhos nos mais de 5.200 lotes existentes na cidade, a Prefeitura intensificou a fiscalização. De acordo com a Lei Completar n° 318, de 15 de fevereiro de 2017, a capina e a limpeza de terrenos sem construção devem agora ser realizadas periodicamente pelos proprietários.

Multa
Caso seja verificado que o lote esteja em desacordo com a legislação, o proprietário é notificado pelos fiscais para realizar os serviços pertinentes à limpeza em um prazo máximo de 15 dias. O descumprimento agora acarreta em multa de 5 a 10 UFMs, ou seja, de R$ 958,60 a R$ 1.917,20.

Melhorias
Os proprietários de terrenos situados na zona urbana cujos mesmos tenham frente para ruas beneficiadas por pavimentação ou sarjetas, devem construir calçada à sua frente e mureta com no mínimo 0,50 cm de altura nas divisas com a calçada. Quando se tratar de lotes de frente para avenidas, o muro tem que possuir 1,50m de altura, de acordo com a Lei Complementar nº 112, de 25 de julho de 2006. A pavimentação da calçada deve ser executada em concreto, com, no mínimo, 2 cm de espessura, sobre base compactada, garantindo superfície firme, regular, estável e não escorregadia. Já os muros e muretas devem ser construídos em alvenaria, seja com tijolos pó de mico, blocos de concreto ou blocos cerâmicos.

Mas…
Entretanto, antes mesmo dos cem dias, Ademir parece ter provado o gosto amargo de governar uma cidade. Na noite de quarta-feira, o Sindicato dos Funcionários Públicos Municipais de Santa Fé do Sul se reuniu com diversos funcionários, com o intuito de mostrar a eles, segundo o próprio Sindicato, os direitos de cada servidor. Na ocasião, descontentes com a possibilidade de receber o ticket alimentação para compensar o fim do 14º salário, decidiram fazer uma grande manifestação na Prefeitura na quinta-feira, dia 6.

Reboliço
E assim foi. Cerca de 250 funcionários públicos, da Prefeitura, Saee e Funec, realizaram então um manifesto no saguão do Paço Municipal. Motivo: ao mesmo tempo em que acontecia a licitação que definiria a empresa para administrar o vale alimentação dos 1.600 funcionários, o que se ouvia no local era um coro estonteante pedindo “Ticket, não! Dinheiro na nossa mão!”, ou seja, esses funcionários lá pediam para que o valor fosse depositado junto ao holerite, e não em um cartão. Tentaram impedir, a todo custo, que a licitação para a contratação da empresa para administrar o ticket alimentação não acontecesse.

Manifestação
De acordo com alguns empregados, o salário base é menor que o valor pago pelo salário mínimo. Outro motivo seria o atraso no ticket alimentação, que teria sido proposto pela Prefeitura para compensar o 14º salário, porém, segundo consta, o ticket não é pago desde dezembro do ano passado. Entretanto, o atraso do ticket seria por causa do processo de licitatório. O problema já foi resolvido, a licitação aconteceu, ficando estabelecida a empresa vencedora, que tem o prazo de dez dias para fazer a entrega dos cartões.

Campanha já?
Parece que alguns vereadores estão deixando o seu trabalho de lado e já ter iniciado suas campanhas eleitorais para o pleito 2021/2024, haja vista terem ido ao Paço para inflamar ainda mais os nervos do eleitorado. Corre boatos que existe já uma pré- candidatura de prefeito e vice na cidade. Entretanto, fazer politicagem neste momento, para muitos, é mais do que apelação.

Última Edição

primeira

primeira