Tópicos da Semana – Edição de sábado – 15/12/18

Publicado em 15/12/2018 00:12

Por Mário Aurélio S. Silva.
Charge: Leandro Gusson (Tatto).

Trabalho é seu nome

Para a maioria dos santafessulenses que amam a cidade e querem vê-la sempre prosperando, há uma lista de benfeitorias realizadas nas últimas administrações, bastando apenas que façamos um retrospecto dos últimos anos. Neste governo, há de se fazer uma ressalva: com espírito incansável e, como dizia minha saudosa mãe, com rodinhas nos pés, o atual prefeito busca recursos, participa de reuniões em prol do município, faz alianças importantes para a cidade, enfim, sabe o que quer, que é justamente destacar o seu nome como sendo um dos melhores prefeitos que a cidade já teve.
Não há como enumerar

É importante ressaltarmos aqui alguns dos feitos desta administração. Se olharmos para a nossa saúde, educação, turismo, cultura, esporte e lazer, assistencialismo, e tantas outras áreas, é possível reconhecermos a educação de qualidade, um turismo que a cada dia cresce mais e mais, a vinda de tantos espetáculos culturais para alegrar e enriquecer nossas almas, a volta do nosso esporte que tem nos dado tanto orgulho, os inúmeros trabalhos arrojados da Assistência Social e a graça de termos sido privilegiados por uma natureza exuberante.
Ah, a pressa

O xis da questão é que muitos parecem querer o problema, seja ele qual for, resolvido para “ontem”, como se o município tivesse tão somente uma questão a ser resolvida ou como se tudo dependesse somente do administrador público. Vale ressaltar que em uma época de grande crise econômica os municípios, e os menores mais ainda, estão “se vendo gregos” para administrar a cidade, justamente porque as verbas estaduais e federais caíram drasticamente neste ano, então haja jogo de cintura…
Temos um nome a zelar

Estamos em plena época das festas de final de ano, e Santa Fé do Sul tem feito isso com destreza, impecabilidade nos detalhes da decoração, shows na praça que têm agradado pessoas de todas as idades e tribos, sem contar o Encontro de Carros Antigos, que foi um grande sucesso, ou seja, é nossa Estância Turística fazendo jus ao nome que carrega. O comércio agradece.
Na contramão

Por incrível que pareça, todavia, alguns ranzinzas ainda acham que tudo que o Governo Municipal tem feito, através das Secretarias de Cultura e Turismo, ainda não é o suficiente, e isso nos faz crer, mais uma vez, na incapacidade do ser humano de não saber apreciar o que lhe é ofertado, ou preferem mesmo denegrir, a qualquer custo, justamente o lugar onde vive e de onde tira o seu ganha pão.

Quero, não quero

Se o Sonho de Natal está bonito, falam do problema financeiro da Santa Casa; se o tal “problema” daquela entidade dá sinais de que as questões estão sendo amenizadas, até porque nada na vida é resolvida da noite para o dia, tratam logo de dizer então que a questão são as ruas esburacadas; se a Administração faz o recape, como tem feito em diversas ruas da cidade, e o projeto é que todas as vias públicas do município recebam logo essa benfeitoria, então o problema passa a ser o mau cheiro que vem da Lagoa de Tratamento. Lá, o problema já foi resolvido pela Administração Municipal. É a velha história, há sempre aqueles que dia e noite parecem viver suas vidas procurando pelo em ovo.
Bem comum

Com erros e acertos, até porque somos humanos, seguimos em frente e deveríamos estar na busca de um bem comum, na construção ininterrupta de nossa cidade, pois quem ama não destrói, não denigre, não desvaloriza, não obscurece o que há de bom, e não será uma parcela pífia da população que, na ânsia por dinheiro e pensando em seus próprios umbigos, vai fazer com que a nossa cidade continue sendo linda de se viver.
Singular

Nunca nesta coluna usei a primeira pessoa do singular, mas vamos lá: já vivi em várias partes do mundo, seja na América do Sul, América do Norte ou Europa, mas não troco por nada deste mundo a minha querida Estância Turística de Santa Fé do Sul. Então, como dizia o quarteto Doces Bárbaros, composto por Caetano Veloso, Gilberto Gil, Maria Bethânia e Gal Costa, quando cantavam “O seu amor”, de autoria de Gilberto Gil, música de muito sucesso nos anos 70 e 80, “O seu amor, ame-o ou deixe-o”, e aqui acrescento, “ame-o ou deixe-o” livre para crescer, para progredir, mas parece mesmo que alguns querem mesmo é plantar carrapicho, porém quem o planta só poderá colher carrapicho, e não um futuro melhor.

Última Edição