Tópicos da Semana – Edição de sábado – 16/03/19

Publicado em 16/03/2019 00:03

Por Lelo Sampaio.
Charge: Leandro Gusson (Tatto).

Há uma nuvem…

Talvez o atual prefeito de Santa Fé do Sul, Ademir Maschio, não tivesse a real visão do que seria administrar uma cidade do porte de Santa Fé. Enquanto presidente da Funec desenvolveu um trabalho exímio e recebia, a época, muitos elogios, mas agora, como prefeito, vem enfrentando certa desaprovação com relação à forma como vem conduzindo o município. O fato é que agora, com as redes sociais, onde todos falam o que pensam, o que tem se visto são inúmeras críticas a respeito desta administração. A internet é mesmo terra de ninguém.
Sem palavra

Um cidadão, também em uma rede social, escreveu que “nunca fui de falar de política, mas hoje resolvi falar. Não vejo o atual prefeito como uma má pessoa, porém decidi me manter longe da sua administração, primeiro porque ele não tem humildade em ouvir as pessoas, segundo porque esse cidadão não tem palavra (muito difícil falar isso), mas é a realidade! Esse mesmo cidadão cala a boca das pessoas (da imprensa principalmente) com dinheiro que não sei de onde vem!!! Uma pessoa pode ser tudo! mas, se não tiver palavra, na minha opinião, ela não é nada”.
Alto lá!!!

O Jornal, que presa pelos seus assinantes, anunciantes e leitores, afirma categoricamente que não recebe e nunca recebeu dinheiro escuso da atual administração, e tampouco de outras. Recebemos pelas chamadas Propagandas Institucionais, ou seja, propagandas que a administração se vê no dever de fazer, como alertas para a questão da Dengue, datas festivas, como o Carnaval, Ficcap, dentre outras.
Nada escuso

Cabe ressaltar aqui que as referidas propagandas vêm através de uma agência que venceu o processo licitatório para que prestasse esse tipo de serviço à imprensa e todos os serviços prestados por nós de O Jornal são recebidos mediante envio de notas fiscais de prestação de serviço, então não recebemos dinheiro na esquina e o colocamos na cueca.
Prestação de serviço

Nosso jornalismo é de prestação de serviços à população, tanto que não “florimos as atitudes do prefeito”, muito pelo contrário, temos procurado mostrar os pontos fracos da cidade sem denegrir a imagem de ninguém, até porque nossa intensão é a de pura e simplesmente mostrar os fatos, e quando há trabalho bem feito por parte da administração, o nosso dever também é o de comunicar.
Denegrindo imagens

Outro internauta, mais afoito ainda, afirmou que “os meios de comunicação falados em nossa cidade são intencionais. Sobrevivem à custa do poder público e se sua empresa não se encaixar não vai ter proteção financeira”. Não se defende aqui qualquer rádio do município, mas não se pode generalizar. Muitos profissionais das rádios de Santa Fé, sérios e competentes, não aceitam o famoso jabá, que nada mais é do que um “dinheiro qualquer” pago para falar ou deixar de falar algo que possa denegrir a imagem de alguém. Para os que aceitam, se aceitam, a carapuça deve ter servido, e aos que escrevem a revelia, colocando todos os profissionais do meio de comunicação falado no mesmo balaio, já que foi “macho” para publicar tais palavras vis, que fosse também para citar nomes.
O bem não contamos…

Há de se ressaltar que essas mesmas rádios que são alvos de rumores são as mesmas que fazem ao longo do ano ações filantrópicas e eventos com shows gratuitos tanto para a população de Santa Fé como para muitas pessoas que vêm de cidades mesmo distantes, porém pouco são exaltadas justamente por aqueles que sempre estão de prontidão para denegrir, a revelia, a imagem deste ou daquele empresário.
Trabalho indenizado

Os ex-vereadores Claudinei dos Santos, mais conhecido como Nei da Mariana, e Antonio Donizete Ballotti, ambos com mandato entre 2009 e 2012, além de Wagner Aparecido Hernandes, popularmente chamado por Vaguinho da Saúde, que exerceu a vereança de 2013 a 2016, dentre em breve receberão as indenizações trabalhistas cobradas na Justiça referentes ao 13º salário e férias, isso porque após ganhar a “disputa” em primeira instância a Prefeitura foi derrotada em segunda instância, desta vez no Colégio Recursal de Jales.
Valores

A época a Prefeitura fora condenada a ressarcir Vaguinho da Saúde em pouco mais de R$ 30 mil; Nei da Mariana, a quase R$ 25 mil; e Ballotti, a pouco mais de R$ 28 mil. O processo encontra-se em fase de cumprimento de sentença e os valores agora sofrerão atualização monetária.
E nada mais…

Ao que parece, o governador João Dória, só está cumprindo seu plano de governo, ou seja, entregando tudo que é de responsabilidade do Estado para a iniciativa privada e assim ficar com a totalidade de nossos impostos para realizar obras que o cacifem para a disputa da presidência em 2022. O que é estranho, talvez, é ver partidos, políticos e eleitores que apoiaram essa plataforma de governo, agora se revoltarem contra suas ações. Ora, ele só está cumprindo o que prometeu, graças ao voto e apoio político dessas mesmas pessoas.

Última Edição