Tópicos da Semana – Edição de sábado – 9/02/19

Publicado em 9/02/2019 00:02

Por Lelo Sampaio.

Charge: Leandro Gusson (Tatto).

Vamos fritar

Antes que os defensores do “está tudo numa boa” comecem a vomitar besteiras, o aquecimento global irá provocar cada vez mais extremos, ou seja, ondas de frio mais intensas, ondas de calor mais intensos, maiores períodos de seca, chuvas mais intensas, ventos e furacões mais fortes. Isso tudo aliado ao fato de ocorrerem em áreas onde não eram comuns esses fenômenos. Sim, esse é o resultado do imediatismo, da ganância, da falta de sustentabilidade e da burrice humana. E pensar que para muitos o planeta não é prioridade.
Extremos

E, enquanto centenas de animais selvagens estão morrendo com o calor extremo na Austrália, os Estados Unidos se preparam para a chegada, nesta semana, de uma frente fria – na verdade congelante – que pode fazer a temperatura chegar a -50ºC. O Serviço Meteorológico Nacional dos EUA (NWS, na sigla em inglês) informou que alguns Estados vão vivenciar o clima mais frio das últimas décadas. De acordo com o NWS, a partir desta terça, 5, os ventos gelados chegaram a gerar “temperaturas perigosas” no centro-oeste do país.
Frio de doer

O NWS informou que é possível que as temperaturas alcancem uma mínima histórica, sendo as mais baixas desde a década de 1990. Isso deve ocorrer em Dakota, Minnesota, Iowa, Wisconsin e no norte de Illinois, onde também deve haver fortes nevascas. “Frio extremo e perigoso previsto para as planícies do norte até os Grandes Lagos, com mínimas entre -30ºC e -40ºC, e rajadas geladas de -50ºC”, informou o NWS pelo Twitter. As nevascas mais intensas são esperadas na região dos Grandes Lados, provocando “condições de viagem perigosas ou impossíveis”.
Verde que te quero

No Brasil, há estudos que indicam as cidades de Goiânia, Campinas, Belo Horizonte, Porto Alegre e Curitiba como as mais arborizadas. Uma pesquisa da Universidade de São Paulo (USP), na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), em Piracicaba, mostra que quanto mais uma área urbana é arborizada menor é a sensação de calor registrada. A pesquisa ainda mostra que para um bairro ter uma temperatura agradável o ideal é que 20% da área dele seja arborizada.
Exemplo

Em Piracicaba, 80% dos bairros têm em média 12% da área arborizadas. O bairro Campestre, que tem 30% da área arborizada e fica na região sul de Piracicaba, tem temperatura média dois graus menor que no centro da cidade. Já em locais como o São Jorge, há presença de árvores em apenas 10% da área, o que faz que as temperaturas no bairro sejam superiores às de outras regiões da cidade.ão ao arranque

Dados mostram que a temperatura em uma região não arborizada em São Paulo pode ser entre oito e dez graus mais alta do que em uma região arborizada. Isso acontece no Brás, um dos bairros com menos verde. “As árvores regulam a temperatura, mantêm o ambiente mais fresco, mais úmido, mais oxigenado. Aumentam a capacidade do solo de absorver a chuva de verão”, explica o professor de hidrometeorologia da USP, Augusto José Pereira Filho. Tempestade de verão em lugar sem árvores é ainda mais intensa e devastadora.

Aqui

Sabe-se que para um cidadão ter a permissão da Prefeitura de Santa Fé para arrancar uma árvore defronte a sua casa ou estabelecimento comercial, ele deve fazer um requerimento e pagar pelo protocolo cuja taxa é de R$ 20,31. Após a fiscalização do órgão competente, é emitido um laudo autorizando ou não a retirada. Ou seja, a vida de uma árvore vale uma taxa pífia de R$ 20,31.

Prédios x árvores

Na rua 7, entre as ruas 12 e 10, há 17 prédios, entre casas e estabelecimentos comerciais, e cinco árvores. Na rua 12, entre as ruas 7 e 9, são 12 árvores e 14 prédios; na rua 9, entre as ruas 12 e 10, são 9 árvores e 11 prédios e na rua 12, entre as ruas 9 e 7, existem 9 prédios e 8 árvores. Porém, na rua 14, entre as ruas 7 e 11 são aproximadamente 50 prédios e nenhuma árvore.
Mixórdia

Para muitos, a escassez de árvores se deve ao progresso da cidade, e muitos lojistas agradecem a esta lógica, pois elas “impedem” que suas fachadas fiquem visíveis e que seus estabelecimentos permaneçam sempre limpos, sem folhas, e dane-se a sombra, afinal o lema é lucrar.
Ranchos

Uma internauta, indignada, escreveu: “Quando é que as prefeituras vão bater de frente com relação aos ranchos? P…,Se somos estâncias turísticas, o q vamos fazer com tanto mato as margens dos rios? Aí se for p ter mato, vamos todos para o Pantanal. Ou o rio não é o nosso principal atrativo? Lembrando que em muitas vezes os ranchos abrigam mais turistas que muitos hotéis. E com sinceridade, ainda não vi nenhum político abraçando a causa de verdade. Tudo bem, já está julgado, blz. Mas então é melhor não sermos mais cidades turísticas. Destruir os ranchos que estão em área proibida é f…, mas ainda e sermos multados por roçar os caminhos que nos levam aos rios é demais”.

Última Edição