AQUISHOW DEVERÁ MOVIMENTAR MAIS DE R$ 11 MILHÕES EM TURISMO E NEGÓCIOS

Publicado em 13/05/2019 09:05

Ao chegar à sua 10ª edição, a Aquishow Brasil reforça a vocação turística de Santa Fé do Sul/SP e região e o potencial econômico da aquicultura brasileira, que deve gerar mais de R$ 11 milhões em negócios diretos neste ano.
Estima-se que pelo menos 3 mil pessoas movimentem o comércio e a rede hoteleira local e regional. Os hotéis e as pousadas de Santa Fé do Sul/SP já trabalham com lotação máxima para o período. Quem ainda tiver interesse em fazer reservas deve procurar os ranchos para aluguel por temporada ou hospedagem em cidades próximas, como Jales/SP, Ilha Solteira/SP, Três Fronteiras/SP, Paranaíba/MS, Aparecida do Taboado/MS, Iturama/MG, entre outras.
Esse grande volume de público torna o evento uma importante vitrine para lançamentos do setor aquícola. De acordo com a diretora da Aquishow, Marilsa Patrício, toda a cadeia produtiva do pescado deve ganhar visibilidade, desde as soluções tecnológicas até os insumos para rações. “Várias empresas pretendem apresentar produtos e serviços em primeira mão, como softwares que facilitam o controle e o manejo dos produtores e garantem mais produtividade”, diz Marilsa.
Ainda segundo ela, a edição anterior movimentou mais de R$ 10 milhões em negócios diretos e prospectou outros R$ 60 milhões para os meses seguintes. Neste ano, a expectativa é de que os resultados positivos se repitam. “A crise econômica ainda está inibindo investimentos no país, mas projetamos uma margem de crescimento de cerca de 10%”, prevê.
Embora enfrente desafios, a produção nacional de peixes de cultivo tem registrado aumento crescente nos últimos cinco anos. A região Noroeste Paulista, por exemplo, em que está localizada a cidade de Santa Fé do Sul, é uma importante produtora de tilápias em tanque-rede. Somente no ano assado, produziu cerca de 28 mil toneladas da espécie, o que representou em torno de 40% da produção estadual.

SETOR AQUÍCOLA
Levantamento recente do Anuário Peixe BR (Associação Brasileira da Piscicultura) mostra que a produção nacional de peixes de cultivo em 2018 foi de aproximadamente 722,5 mil toneladas, o que representa um aumento de 4,5% em comparação com 2017. Desde 2014, o crescimento acumulado foi de 25%.
Os números poderiam ser ainda mais expressivos se não tivessem a influência negativa de fatores climáticos, como a seca; logísticos, como a greve dos caminhoneiros; diplomáticos, como o embargo de pescados brasileiros pela União Europeia; e macroeconômicos, como o crescimento modesto do PIB (Produto Interno Bruto) e o alto índice de desemprego.
Apesar dos entraves, o volume de produção tem se mantido crescente para atender tanto à demanda interna quanto à externa. Segundo a Secex (Secretaria de Comércio Exterior), o país exportou 32,4 mil toneladas de peixes congelados, frescos e refrigerados no ano passado, inclusive para os Estados Unidos, maior consumidor global de tilápia. Em relação a essa espécie, o país já é o quarto maior produtor do mundo, com cerca de 400 mil toneladas ao ano, vindas especialmente das regiões Sul (56%) e Sudeste (23%).
Atualmente, São Paulo ocupa a segunda posição no ranking de produtividade nacional da Peixe BR, com 73,2 mil toneladas de pescados, o que corresponde a uma evolução de 5,3% em relação a 2017 – desempenho superior à média brasileira. Desse total, a maior parte da produção é de tilápia (69,5 mil toneladas), enquanto os peixes nativos correspondem a 3,3 mil toneladas e outras espécies, como carpa, truta e panga, a 400 toneladas.
O estado fica atrás apenas do Paraná, que segue na liderança com 129,9 mil toneladas, e ultrapassa Rondônia, que caiu para o terceiro lugar, com 72,8 mil toneladas, por conta de problemas ambientais, mercadológicos e sanitários. Entre os melhores resultados, também aparecem, respectivamente, Mato Grosso, Santa Catarina, Maranhão, Minas Gerais, Goiás, Bahia e Mato Grosso do Sul.

SANTA FÉ DO SUL
Santa Fé do Sul pertence à microrregião de Jales, no extremo Noroeste do estado de São Paulo, nas divisas dos estados de Minas Gerais e Mato Grosso do Sul. Fica a 628 quilômetros da capital paulista. A cidade, que foi transformada em estância turística em 2003, atrai aficionados pela pesca esportiva do tucunaré e do apaiari (popularmente conhecido como “zoiudo”), pelos passeios náuticos em barcos e lanchas e pelos campeonatos de jet-ski. Devido à sua localização estratégica, a “Capital dos Grandes Lagos” (apelido em alusão à sua malha hidrográfica) também é um importante polo logístico para produção industrial, pecuária e fruticultura.

AQUISHOW BRASIL
O encontro de negócios e conhecimentos é um dos maiores do setor de piscicultura de água doce da América Latina. Neste ano, será realizado de 14 a 17 de maio, no Complexo Turístico, Cultural e Histórico “Roberto Rollemberg”, em Santa Fé do Sul/SP, e deve reunir mais de 3 mil participantes. Serão quase 90 estandes de produtos e serviços, além de programação variada, com palestras, minicursos, visitas técnicas e outras atrações. Inscrições e informações pelo site oficial: www.aquishowbrasil.com.br.

Última Edição