PRESO POR DOPAR E VIOLENTAR MENINA DE 14 ANOS TEM DUAS PASSAGENS POR ESTUPRO, DIZ DELEGADO

Publicado em 20/11/2020 11:11

Suspeito foi preso em construção de Bady Bassitt

O homem preso suspeito de estuprar uma menina de 14 anos, em Bady Bassitt, no interior de São Paulo, tem duas passagens pelo mesmo crime e, inclusive, já cumpriu pena, segundo informou ao G1 o delegado responsável pelo caso, Ericson Abufares.
O crime foi registrado em 11 de novembro, por volta das 18h, no bairro Jardim Bandeirantes. A prisão do criminoso, no entanto, foi realizada na manhã de quarta-feira (18), após a Justiça expedir um mandado.
De acordo com Ericson, a vítima relatou que estava indo a um supermercado comprar fubá para a família, quando foi abordada pelo suspeito que dirigia um carro e estava armado.


“Ele parou o veículo, desceu, se aproximou e colocou um lenço no rosto da vítima embebedado com algum produto entorpecente. O homem colocou a menina no carro e foi embora”, afirmou em entrevista ao G1.
Em seguida, o suspeito levou a menina até uma mata de Bady Bassitt, onde tirou a roupa dela e cometeu o crime. A vítima acordou no meio do estupro.


“O homem, infelizmente, terminou de estuprar a vítima. Ela conseguiu descer do carro, saiu correndo e pediu ajuda em um posto de combustíveis”, contou o delegado.
A Polícia Militar foi acionada, encontrou a vítima e a ligou para o resgate. A menina foi levada ao hospital e, posteriormente, fez um exame de corpo de delito. O resultado ainda não saiu.


PRISÃO
No dia seguinte ao estupro, policiais começaram a investigar o caso e identificaram o veículo usado no crime, além do suspeito de cometê-lo.
A menina, acompanhada pela mãe, prestou depoimento à polícia e realizou o reconhecimento do carro e do homem que a estuprou.
O delegado responsável pelo caso, então, fez um pedido de prisão temporária, que foi deferido pela Justiça na manhã desta quarta-feira.
“Nós solicitamos apoio da Polícia Militar e o encontramos em uma construção de Bady Bassitt. Ele chegou a tentar correr, mas conseguimos prendê-lo”, contou o delegado.
Ainda segundo Ericson Abufares, o suspeito confessou o estupro enquanto era preso, mas, na presença da advogada, alegou que o ato sexual tinha sido consensual.
“Nós não acreditamos que o ato tenha sido consensual. Procuramos a arma em São José do Rio Preto. Não encontramos, mas acharmos as roupas que ele usava no dia do crime guardadas em uma sacola”, afirmou.
O homem foi encaminhado à carceragem da Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic) de Rio Preto. Em seguida, foi encaminhado para um presídio da região noroeste paulista. G1.

Última Edição