AUTORIDADE

Publicado em 10/11/2018 00:11

Quando eu era criança minha mãe nem precisava falar. O olhar dela traduzia exatamente o que eu deveria ou não fazer.
Ela determinava o que eu iria comer. Ela fazia as compras. A comida que estava na mesa era o que seria servido e ponto.
Claro que naquela época de “criança raiz” nós obedecíamos porque sabíamos exatamente a consequência da desobediência.
Mas, independente de ter medo ou não, existia o respeito à autoridade materna e paterna.
Eu sabia quem eram meus pais e quais eram seus papéis na nossa família. Sabia bem quais eram as regras.
E o que eu quero falar hoje é exatamente sobre isso: autoridade.
Onde está a sua autoridade? Com você? No seu trabalho? Na sua casa? Na sua família? Na sua vida? Com seus filhos?
Nós perdemos a autoridade sobre nós mesmos e depois queremos que as crianças ou quem seja nos respeitem e obedeçam ou se espelhem em nós.
Trazendo para a nutrição, não existe, preste atenção, não existe criança que seja boa ou ruim para comer. Existe sim preferência: alguns já tem paladar para doce ou azedo ou amargo.
Mas, nenhuma criança come mal porque nasceu assim.
Primeiro, o que vocês comem na sua casa? Lembra do ditado? Filho de peixe?
Seu filho não vai comer bem se você não tem bons hábitos.
Além disso, quem compra as coisas que tem em casa?
Ah, Camila, ele só come bobagem!
Exatamente, porque é o que é oferecido ou está à disposição.
Até eu que sou mais boba também faria isso.
Outro ponto, quem é o adulto? Quem é o responsável? Responsável pelo cuidado integral da criança? O que inclui a responsabilidade de escolher o que será oferecido para ela comer ou não.
Nossa Camila, pegou pesado hoje hein! Sim, peguei.
As nossas crianças estão obesas por nossa responsabilidade. Nós adultos estamos permitindo que tudo isso aconteça.
Ah, mais ela come na minha sogra, o que eu posso fazer?!
Aham, quem é a mãe e o pai? Então, vocês responsáveis decidiram ser omissos com seu filho e permissivos com a sogra?
Entendo que hoje as crianças ficam menos tempo com os pais por conta do trabalho, mas, reflita comigo, você deixou a sua responsabilidade de criar seu filho com outra pessoa no momento em que saiu para trabalhar. Entenda que a responsabilidade, eu não disse culpa, são coisas bem distintas, continua sendo sua. O filho é seu.
Quando você pede a alguém para cuidar da sua casa existe uma série de regras e recomendações que você passa a pessoa. Por que com seu filho é diferente?
As crianças precisam muito dos adultos sendo adultos, porque elas precisam ser apenas crianças.
Eu não tinha escolha, gostasse ou não, o adulto responsável por mim era responsável por tudo: comer, vestir, fazer.
Entendeu que estamos deixando as crianças escolher coisas que elas ainda não tem capacidade para decidir?
Onde você quer dormir? O que quer fazer? O que quer comer?
A decisão não pode ser delas. Isso é papel e autoridade de adulto.
Exerça sua autoridade para que sua criança possa apenas ser criança.
Uma vida saudável começa pela alimentação!
Consulte sempre um nutricionista!

Última Edição