De Olho na Câmara – Edição de 8/04/17.

Publicado em 8/04/2017 00:04

A primeira prova de fogo da administração Ademir Maschio e Alcir Zaina teve início na última quinta-feira, dia 6, quando ocorreu uma das maiores manifestações dos funcionários públicos municipais de Santa Fé do Sul.
Os servidores apresentaram o requerimento pedindo a suspenção da licitação para a contratação da empresa que irá administrar o ticket alimentação dos servidores municipais e, junto com o requerimento, foi entregue o pedido para que os valores do ticket sejam depositados em conta corrente.
Mais de 200 funcionários se reuniram no saguão da Prefeitura, na tentativa de pressionar o prefeito Ademir Maschio a ceder a reivindicações dos funcionários.
Maschio estava na capital, onde participava de uma reunião do Dade, Secretaria responsável para repassar recursos para as Estâncias Turísticas.
O clima estava muito tenso no saguão da Prefeitura, porém os servidores mantiveram uma postura de diálogo e tudo ocorreu com muita ordem e sem relatos de confronto.
A Guarda Municipal esteve presente para garantir a ordem e segurança, e o comandante Pinha pediu aos funcionários para deixar o espaço.
Os representantes do Sindicato, juntamente com os funcionários, deixaram o local com a intenção de voltar na sexta-feira para serem atendidos pelo prefeito Ademir Maschio.
Com um lance no valor de R$3,382 milhões por doze meses a empresa Sindplus, de Rio Preto, irá administrar o vale alimentação dos funcionários da Prefeitura de Santa Fé do Sul.
Há relatos de que muitos alunos ficaram sem aulas e provas, pois o vereador e professor Rollemberg abandonou a escola no intervalo de uma aula para acompanhar a manifestação.
Consta que o professor Rollemberg deveria ter aplicado três provas. Entretanto, com esse mau exemplo por parte do parlamentar Rollemberg, que não teve a preocupação de colocar outro professor para aplicar as provas, fica difícil os bons professores cobrarem responsabilidade dos alunos.

Última Edição

primeira

primeira